Voyeur          Peep-Hole          
Web Cam
          Tv          Artists          Atelier           Theory          News
          
          Collection          




ANTÓNIO NUNO JÚNIOR
08.05.08/08.06.08


Installation View
2008




Random 999
Vídeo, 2003




Installation View
2008




Random 999
Vídeo, 2003




Installation View
2008






Quando acabei a montagem de 999 (2003, 105 min.), depois de um longo processo de reconstrução de sentidos que entretanto se tinham perdido desde o período de rodagem do material original (1999-2000), fiquei com a desconfortável sensação de que aquela era apenas uma das formas finais possiveis que o filme poderia assumir. Havia algo de desajustamento determinínistico no modo como os materiais, eminentemente não-narrativos de que o objecto é composto, eram organizados de modo a cumprir uma função estrutural linear que, em certa medidad, contrariava o potencial múltiplo daqueles. No entanto, o alívio prático de encerrar um projecto que levou quatro anos a completar-se sobrepôs-se a todos os pequenos incómodos teóricos que, na altura, me pudessem assolar.
Mas o alívio é um sentiemnto muito curto. O que Random 999 propõe, quase dez anos depois do inicío do projecto original, é uma tentaiva de recomposição dos princípios estruturantes do filme. Quebrando a unidade de dispositivo cénico, por assim dizer, do objecto ao transformá-lo numa dupla projecção bi-canal que se instala axialmente no espaço, e transformando a estrutura linear da disposição cronológica dos seus elementos num sistema de base de dados a partir da qual um algoritmo de randomização procede à distribuição aleatória das imagens e dos sons pelos dois canais. Se, por um lado, desta forma o objecto ganha uma nova vida, mais apropriada àquilo que creio ser a natureza dos materiais que o compõem, por outro lado e em princípio, alguns dos atributos caracteristicamente cinematográficos do objecto sobreviverão a esta reestruturação, promovendo a confrontação entre dois paradigmas formais numa só instância.